28 fevereiro 2010

Sobre a secção de tauromaquia no Conselho Nacional de Cultura; a resposta do BE que é também a minha

Em resposta às inúmeras mensagens recebidas relativas à criação de uma secção de tauromaquia no Conselho Nacional de Cultura, o Bloco de Esquerda afirma a sua completa discordância com esta decisão do Ministério da Cultura.

O Conselho Nacional de Cultura é um órgão consultivo do Ministério da Cultura criado em 2006 e que só agora foi activado. Este conselho prevê secções especializadas nas áreas das bibliotecas, arquivos, direitos de autor e museus. Por decisão da Senhora Ministra da Cultura foram criadas duas novas secções - artes e tauromaquia - respectivamente pelos Despachos n.º 3253/2010 e n.º 3254/2010, de 22 de Fevereiro.

Se a criação de uma secção especializada em artes aparece, neste contexto, como um passo lógico na resposta a uma evidente lacuna, já a criação de uma secção dedicada à tauromaquia não aparece como necessária nem pertinente.

De facto a cultura é um campo vasto, em que se cruza criação e património, tradição e contemporaneidade, numa pluralidade de manifestações e linguagens. Mas a autonomização de uma particular tradição, no contexto do Conselho Nacional de Cultura, parece querer dar-lhe uma centralidade que não só não tem sentido dada a pouca relevância do sector para a generalidade da população, como desrespeita as outras tradições e expressões culturais que não têm o mesmo reconhecimento.

Esta forçada centralidade da tauromaquia no Conselho Nacional de Cultura aparece ainda como um esforço anacrónico e desprovido de qualquer sentido, que é particularmente incompreensível visto não resultar sequer de nenhuma reivindicação pública do sector.

4 comentários:

Francisco Castelo Branco disse...

Desde ha seculos que a tauromaquia faz parte da nossa cultura e tradição.
Alias, são as proprias camaras municipais ( poder publico...) quem mais promove estas festas.

Acho que o Estado ao mais alto nivel tinha a obrigação de preservar esta festa..

Já que se não se podem matar os touros na arena....

Cassilda Pascoal disse...

Catarina,
essa é a opinião de mais de metade do país, com toda a certeza e segundo um estudo da ANIMAL que data já de 2006 em que 55% da população portuguesa era declaradamente contra esta prática.
No entanto essa "mais de metade" não tem voz directa na AR sobre o assunto.
Os cidadãos estão a se organizar para fazer o que podem.

A questão é: Vai o BE fazer alguma coisa ou deixar-se por dizer que também não concorda com a Cornada na Cultura e nos dinheiros públicos?

Francisco Castelo Branco disse...

Opiniao de mais de metade do país????????'

que eu saiba as praças de touros estão cheias...

E touradas já existe ha seculos...

Até mesmo antes do aparecimento do BE....

Cassilda Pascoal disse...

Francisco, os espectadores da tourada são itinerantes.
Se você tiver 10 touradas a decorrer no mesmo dia em vários sítios, logo perceberá. Aliás, deduzo que tenha perfeita noção disso...

De qualquer maneira não tenciono fazer deste post um fórum de discussão. Queria só mesmo deixar a questão no ar à Catarina, sendo artista, deputada e ser humano que faz bom uso do raciocínio.